AnaMaria
Últimas Notícias / Política

Ingrid Guimarães defende Lei Rouanet após mudanças de Bolsonaro: ‘’A cultura vai parar nesse país’’

A atriz global criticou as más interpretações da lei que incentiva a cultura

Da Redação Publicado em 23/04/2019, às 15h03 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h47

A atriz Ingrid Guimarães. - Reprodução/ Instagram
A atriz Ingrid Guimarães. - Reprodução/ Instagram

Ingrid Guimarães discursou sobre a Lei Rouanet, que sofreu mudanças na última segunda-feira (22), a pedido do presidente Jair Bolsonaro. No mesmo dia, a atriz da Globo falou, em entrevista ao ‘Pânico’, na rádio ‘Jovem Pan’, sobre a lei que incentiva a cultura no país.

“As pessoas demonizaram a Lei Rouanet sem saber a importância que ela tem. A verdade é essa. Quando a Lei Rouanet acabar, se é que ela vai acabar, você vai ver como a cultura vai parar nesse País”, começou a loira.

Guimarães destacou a falta de informações sobre a lei, e garantiu que, apesar de achá-la necessária, é preciso alguns reajustes. “Essa frase ‘mamar na teta’ não existe. Eles acham que a lei dá dinheiro pra gente direto. Gente, você tem que prestar conta de tudo que você fez”, disse.

MUDANÇAS
Segundo a artista, o menor beneficiado acaba sendo o pequeno artista. “Acho que a Lei Rouanet tem que ser revista, sim, tem algumas falhas. O pequeno artista fica um pouco desprezado, porque as empresas não querem colocar dinheiro em um artista desconhecido. Eu fui essa artista e vivi isso”, desabafou.

Na segunda-feira (22), o ministro da Cidadania, Osmar Terra, anunciou, em um vídeo publicado no Facebook, a diminuição no teto do valor que pode ser captado no projeto. Antes R$60 milhões, agora o gasto deve ser de apenas R$ 1 milhão. 

Outra mudança importante foi no próprio nome. A Lei Rouanet agora deve ser chamada de ‘Lei de Incentivo à Cultura’.