O impacto da separação nos filhos

Os pais estarem seguros e bem resolvidos em relação à decisão do divórcio faz diferença para os filhos se sentirem acolhidos frente à perda

Deborah Moss

O impacto da separação nos filhos | <i>Crédito: iStock
O impacto da separação nos filhos | Crédito: iStock

"Como saber se o divórcio deixou traumas no meu filho? E tem algum jeito de resolver?”
U. B., por e-mail

Trauma psicológico é um tipo de dano emocional que resulta de algum acontecimento. Pressupõe uma experiência de dor e sofrimento emocional ou físico. Ou seja, durante a nossa vida, dificilmente seremos poupados de traumas. Entretanto, reagimos de maneiras diferentes em eventos similares – por mais traumático que seja o evento, nem todas as pessoas se sentem abaladas da mesma forma.
Sendo assim, você deve avaliar o impacto emocional do divórcio no seu filho. Ele demonstra estar em sofrimento? Nem sempre crianças e adolescentes conseguem expressar sentimentos tão profundos por meio de palavras. Por outro lado, mesmo tentando disfarçar, acabam extravasando as suas emoções em outras áreas de sua vida. Diminuição do rendimento escolar, isolamento, agressividade, crises de
choro constantes e de modo repentino, inapetência ou fome exacerbada são alguns sintomas que podem aparecer em situações que desencadeiam sofrimento. O preocupante é quando isso passa do limite esperado e toma proporções intensas na vida da criança. Converse abertamente com o seu filho. Coloque-se à disposição caso ele queira falar sobre os sentimentos. Inclua seu ex nesta conversa. Em um divórcio, é muito importante assegurar aos filhos que o lugar deles estará sempre garantido na vida de cada um dos genitores. Os papéis de marido e esposa foram alterados na separação, mas ambos continuam sendo pai e mãe. Neste caso, o foco não deve ser de resolver o trauma, até porque nem sempre os pais têm este controle, mas podem acolher o sofrimento e dar condições para que consigam elaborar de modo saudável o luto do fim do casamento. A família pode ajudar para que os filhos consigam sair fortalecidos.

A segurança do casal faz diferença para o filho
Os pais estarem seguros e bem resolvidos em relação à decisão do divórcio faz diferença para os filhos se sentirem acolhidos frente à perda. Muitas vezes, os problemas das crianças nascem dos conflitos no âmbito familiar (antes e depois) e não do divórcio em si.

DEBORAH MOSS: Neuropsicóloga especialista em comportamento e desenvolvimento infantil e mestre em psicologia do desenvolvimento pela Universidade de São Paulo (USP). Consultora do sono certificada pelo International Maternity and Parenting Institute, no Canadá.

Envie suas perguntas para dra. Deborah Moss pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br

01/02/2018 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria