Quem está influenciando essas crianças?

Muitos até gostariam de criar os filhos longe de qualquer interferência externa, mas é impossível. Melhor, então, aprender como agir diante de tanto pitaco

Júlia Arbex

Quem está influenciando essas crianças? | <i>Crédito: Shutterstock
Quem está influenciando essas crianças? | Crédito: Shutterstock
Os pais são os que dão (ou deveriam dar) a palavra final, mas até chegar a esse ponto, muita gente já entrou na frente. É a avó oferecendo doces fora de hora; um tio que tem uma posição política totalmente diferente da de vocês tentando “catequisar”seu filho; a escola transmitindo valores dos quais você discorda; os meios de comunicação fazendo de tudo pra ele virar um pequeno
consumista... Ufa, impossível mesmo educar sem interferências! Mas como devemos reagir a elas? Afinal, nem todos os pitacos são negativos... Pelo contrário: muitos ajudam no desenvolvimento dos pequenos, que passam a conviver com opiniões diferentes das que ouvem em casa. A educadora, mãe e avó Cris Poli, mais conhecida como Supernanny, ajuda os pais nesse dilema em seu novo livro Atenção! Tem Gente Influenciando Seus Filhos (Editora Mundo Cristão, R$ 29,90). Eis alguns pontos importantes:


Os avós podem tudo. Será mesmo?
Eles foram, antes de mais nada, pai e mãe. Ou seja, também foram marinheiros de primeira viagem e, entre erros e acertos, educaram os filhos. Agora, mais experientes, podem ajudar a família com os problemas típicos da infância e da adolescência. Mas tudo tem limites, e a melhor maneira de enfrentar a situação é conversando. Algumas dicas para lidar com a situação:

❱❱ No caso de discordância, deve prevalecer a opinião dos pais. Tente deixar isso claro, sem brigas.

❱❱ Ainda que não concorde, evite desautorizar os avós na frente das crianças. Acertem os ponteiros longe delas, por favor!

❱❱ Se seu filho passa o dia com eles, organize a rotina e as regras a serem seguidas. Deixe-as bem claro!

❱❱ Caso se arrepender de alguma das regras, tudo bem! Reconheça e mude o rumo da coisa. Não insista no erro só por orgulho, ok?



Influência de amigos e outros familiares
Devemos criar nossos filhos pra conviver num mundo diferente do que construímos dentro de casa. Ou seja, nosso papel é estimular a tolerância. Portanto, desde cedo, ensine-os a lidar com ideias e formas de enfrentar a realidade diferentes das deles.
Porém, é importante que vocês passem os valores e construam uma base sólida, sendo presentes, conversando e também abrindo
espaço na agenda corrida pra dar atenção a eles. Então, não deixe de:

❱❱ Ensiná-los a respeitar a opinião dos outros, mesmo que não concordem com ela.

❱❱ Conhecer os amigos do seu filho e suas famílias.

❱❱ Dialogar e interagir com as crianças para criar um relacionamento confiável com elas.

❱❱ Não ter medo de posicionar-se com autoridade e dizer “não” sempre que necessário.



Essa tal de internet...
Se utilizada corretamente, ela é um ótimo recurso. Além de ser um canal que permite a interação e a publicação de qualquer tipo de conteúdo, os milhares de sites e redes sociais formam opinião e ditam tendências. Para estar sempre atenta à influência que o seu filhoestá recebendo do mundo on-line:

❱❱ Supervisione os acessos. Você deve saber tudo o que seu pequeno vê e recebe.

❱❱ Determine regras claras para o uso do computador e do celular em casa.

❱❱ Imponha limites para o uso de jogos on-line, redes sociais, vídeos e sites, pois navegar sem nenhum tipo de controle pode roubar o tempo que deveria ser dedicado a conversas com pais e amigos, leitura, brincadeira e esporte.



Não é necessário satisfazê-las sempre!
“Mas o meu amigo...”, “a mãe de fulano deu para ele...” Que pai nunca ouviu isso? É fundamental ensinar as crianças a reconhecer
o valor das coisas e a lidar com o dinheiro. Uma maneira eficaz pra educar seu filho a controlar os gastos é dar uma mesada a partir do momento em que ele aprender a contar. Ofereça primeiro uma quantia para ser usada de segunda a sexta-feira. Assim, ele associará a mesada aos dias de aula e ao que ele pode comprar na escola. À medida que for crescendo, você aumenta o valor e o prazo. Conversar sobre grana em casa desde sempre vai fazê-lo um adulto mais consciente financeiramente.

11/01/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria