AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria
AnaMaria Testa / Entenda

Vale a pena ter uma película antivandalismo no carro? Nossa colunista testou

Produto promete segurança, especialmente em casos de assaltos no trânsito

*Renata Rode, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 31/01/2024, às 08h00 - Atualizado às 12h25

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A função da película antivandalismo é impedir o ladrão de acessar o carro ao quebrar o vidro - Divulgação
A função da película antivandalismo é impedir o ladrão de acessar o carro ao quebrar o vidro - Divulgação

Que a violência aumentou na cidade de São Paulo, especialmente com a questão da Cracolândia, isso não é novidade. E esses crimes costumam virar notícia quando acontecem com pessoas famosas, como Gyselle Soares, vice-campeã do Big Brother Brasil 8, vítima de um assaltante no trânsito. Por meio de suas redes sociais, ela compartilhou o trauma sofrido quando dirigia pelo bairro da Bela Vista, perto da região central da capital paulista.

“Quebraram o vidro do meu carro, tentaram levar minha bolsa e meus telefones. Graças a Deus, nada aconteceu comigo, estava no sinal e, do lado, tinha uma praça. Eles [os criminosos] saem do nada e quebram seu carro. O cara estava com uma coisa dizendo que era uma arma e que iria me matar”, relatou.

Como moradora da cidade de São Paulo, e atenta a casos do tipo, procurei um local credenciado para instalar a chamada película antivandalismo no meu carro, cuja função é impedir o ladrão de acessar o carro ao quebrar o vidro. Roberto Jacob Junior, sócio da loja Analia Film, ressalta que a procura pela instalação da película antifurto aumenta a cada mês.

“Ouvimos todo tipo de história, sendo a mais comum a da quebra de vidro para roubo pontual de celular. Instalar a película antivandalismo é um ato de segurança e responsabilidade, sendo necessário que o cliente saiba a procedência e garantia do material utilizado”, avalia.

Conforme o especialista, é preciso estar atento à marca da película e sua garantia. “Somos autorizados da 3M, que hoje é considerada a melhor opção no mercado. Trata-se de uma tecnologia exclusiva, focada na cola e na elasticidade. Essa película retém os estilhaços do vidro, oferecendo uma maior segurança para motorista e passageiros. Além disso, sua instalação oferece uma excelente visibilidade e redução de calor", explica.

COMO FUNCIONA A APLICAÇÃO?

película antivandalismo
Crédito: Divulgação

Ao chegar na loja, é feito o atendimento ao cliente - com apresentação das películas e a definição do material a ser aplicado. Depois, o carro é protegido internamente para não ocorrer nenhum tipo de dano. A empresa também faz um checklist do veículo na presença do cliente e, se necessário, é feita uma lavagem no carro para descontaminação. Só aí o automóvel é levado para área de aplicação.

Lá, os vidros são removidos por um técnico especializado com ferramentas específicas para cada carro. Daí, eles são levados até uma estufa, para que a película seja aplicada, sendo que esse local é totalmente isolado e climatizado, para uma aplicação mais limpa e sem contaminação. Após a aplicação, o vidro é montado novamente e o serviço é finalizado, contabilizando em torno de cinco horas de trabalho.

Nesta parte, descobri uma curiosidade: a película de segurança é aplicada somente nos vidros laterais, pois o vidro da frente já é laminado. Então, não há a necessidade, pois ele não estilhaça ao quebrar. Já no vidro traseiro, a instalação da película não é indicada por conta da curvatura, que dificulta sua aderência. "No entanto, por insistência de alguns clientes, acabamos fazendo a instalação mesmo assim”, informa Junior.

Após a colocação do produto, o recomendado é abrir os vidros somente depois de dois dias, além de evitar passar produtos químicos com frequência, não usar materiais abrasivos e limpar os vidros somente com flanela úmida ou umedecida com água e shampoo neutro, daqueles para bebê.

VALE A PENA?

Sim. O advogado criminalista Emerson Tauyl, especialista em segurança pública, explica que, dentre inúmeras situações de insegurança, recentemente surgiu uma nova e alarmante situação de ataques, a chamada ‘gangue da pedrada’ na capital paulista.

"Sempre de maneira ordenada, esses criminosos, atacam veículos parados no trânsito em busca de objetos de valor, como celulares presos a suportes no para-brisa, bolsas, carteiras, relógios, entre outros”, alerta. Dito isso, o especialista ressalta que não existem mais regiões de maior risco ou não.

P.L., um motorista de aplicativo que prefere não se identificar, concorda e conta que estava indo buscar um passageiro na Avenida Sumaré, no bairro de Perdizes, quando se descuidou. "No centro, nós já sabemos a necessidade de andar atento e esconder o celular no interior do carro. Achei que estava a salvo e, por segundos de distração, o criminoso estourou o vidro e levou meu aparelho em uma via que parece ser tranquila, mas não é", lembra ele, destacando o prejuízo e a necessidade de ficar alguns dias parado por conta do reparo.

Conforme o especialista em segurança, como a blindagem de veículos ainda é muito cara, surgiram outros produtos paliativos em forma de resposta alternativa à crescente violência no trânsito, como a película antivandalismo. “Seu material é composto por lâminas de poliéster, com maior rigidez do que o filme comum, além proporcionar tratamento para bloquear os raios UV, protegendo os ocupantes de doenças de pele. É importante destacar que a película antivandalismo não é à prova de balas, porém, pode resistir a golpes de armas brancas (faca, punhal, etc.), ajudando a evitar assaltos ou roubos de objetos dentro de veículos enquanto parados ou mesmo estacionados”, pontua.

QUANTO CUSTA?

Nesta loja, em específico, o investimento é de R$ 1890, que pode ser parcelado no cartão de crédito em até 6 x sem juros. A 3M oferece um certificado de garantia de três anos, mas a loja dá garantia de 10 anos. Eles garantem que basta cuidar, como o orientado, para manter as películas em dia.

*RENATA RODE é escritora nata, desde os 11 anos (idade em que escreveu seu primeiro livro). Repórter, jornalista formada e curiosa, é também autora de livros sobre comportamento e ghost writer. Já foi repórter de celebridades na Record TV, colunista especial do UOL e aqui, na Revista AnaMaria vai falar sobre assuntos pertinentes ao Universo Feminino, sempre com um toque de irreverência. Instagram: @renata.escritora

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!