AnaMaria
Bem-estar e Saúde / Vacinação

Infectologista reforça importância da vacinação contra o HPV

Essencial no combate ao câncer de colo do útero, a vacina contra HPV está disponível para meninas e meninos a partir dos 9 anos

Da Redação Publicado em 28/04/2022, às 10h50

Vacina contra HPV é essencial no combate ao câncer de colo do útero - Pixabay/MasterTux
Vacina contra HPV é essencial no combate ao câncer de colo do útero - Pixabay/MasterTux

Em tempos de coronavírus, a vacinação se tornou um assunto comum nas rodas de conversa. E por que não usar essa alta do tema para estimular outras campanhas, como a da vacina contra o HPV?

Essa vacina protege contra verrugas e infecções persistentes, além de lesões pré-malignas e malignas causadas pelos tipos de HPV 6, 11, 16 e 18 - os dois últimos são responsáveis pelo desenvolvimento do câncer de colo do útero, o terceiro com maior incidência de morte em mulheres no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

"A vacina é indicada para a prevenção de verrugas genitais, também chamadas de condilomas (HPV 6 e 11), e também para a prevenção dos cânceres relacionados ao HPV 16 e 18, como os de vulva, vagina, colo de útero, ânus, cavidade oral, traqueia, e pênis", explica Aline Scarabelli, infectologista e consultora médica do Labi Exames.

QUEM PODE TOMAR A VACINA CONTRA HPV?

Você já deve ter ouvido falar sobre a questão da faixa etária para essa vacinação específica. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), ela é recomendada para ambos os sexos a partir dos 9 anos. De forma a evitar que essas crianças, quando mais velhas, iniciem a vida sexual desprotegidas.

Homens acima de 27 anos e mulheres acima de 45 anos também podem ser vacinados, segundo orientação médica. Já pessoas que já foram infectadas por algum tipo de papilomavírus humano podem se beneficiar da vacinação como forma de prevenção por outros tipos de HPV contidos na fórmula. As demais faixas etárias podem se vacinar voluntariamente apenas na rede privada e apenas de acordo com a orientação médica.

"As contraindicações são apenas para pessoas que apresentaram anafilaxia após receber uma dose da vacina ou a algum de seus componentes e, a princípio, gestantes também devem adiar a vacinação", explica a infectologista.