Por que é melhor fazer procedimentos estéticos no inverno?

Especialistas afirmam que a recuperação e a baixa exposição solar são melhores no tempo frio

Ana Mota Publicado quarta 28 julho, 2021

Especialistas afirmam que a recuperação e a baixa exposição solar são melhores no tempo frio
Depilação a laser é um dos indicados para o inverno - Pixabay

A estação mais fria do ano, o inverno, é ideal para assistir filmes debaixo do cobertor, usar diversas camadas de roupas e experimentar caldos, quentões e chocolates quentes. Mas você sabia que é nessa época que as pessoas mais procuram as clínicas de estética? Isso porque existe uma relação entre a cicatrização dos procedimentos e a exposição solar.

De acordo com o cirurgião plástico Régis Ramos, entre junho e setembro há um aumento na busca por rinoplastia, lifting facial, blefaroplastia (cirurgia da pálpebra), prótese de mento (queixo) e lifting de lábios. Ele explica que durante o frio as pessoas ficam menos expostas ao sol e esse é um dos principais cuidados no pós-operatório.

Segundo a esteticista Isabela Viegas, sócia da clínica JK Estética Avançada, o período é ideal para realizar tratamentos de pele, uma vez que, diferentemente do verão, manter a área coberta é uma tarefa mais fácil.

“O clima mais frio diminui os riscos de haver manchas e de prejudicar o resultado do procedimento, pontos que são, quase sempre, culpas do sol em excesso e sem proteção. O segredo são roupas que cobrem a área toda, protetor solar e curativos bem feitos”, explica Isabela.

Régis diz ainda que as chamadas de vídeo deixaram as pessoas mais críticas com o visual. “Tenho observado também que com a utilização das máscaras as pessoas começaram analisar mais o rosto. Muitos ainda não voltaram a frequentar academias e praias e, com isso, as cirurgias da face ficam em evidência no inverno." Além disso, a época torna o uso de cintas e outros itens de recuperação mais confortáveis.

EFEITOS DO HOME OFFICE
Quem aproveitou a estação fria e resolveu aderir aos procedimentos estéticos foi a estudante e técnica de enfermagem, Maria Eduarda Belém. Ela conta que fez uma rinoplastia no inverno para ter uma recuperação melhor. “Consegui ter um pós-operatório tranquilo para poder usufruir de tudo depois”, afirma. “Não fiquei muito inchada como talvez pudesse ficar no verão, pois a temperatura fria ajuda bastante”, diz.

O inchaço, inclusive, foi o principal motivo para a recepcionista e fotógrafa Letícia Vieira decidir operar no período de temperaturas amenas. “Ajudou muito no pós-operatório. Fiquei mais tranquila por não estar um clima tão quente. Por mais que não fosse interferir tanto se tivesse operado no calor, me senti mais tranquila sabendo que não ia inchar tanto”, conta.

 
Antes e depois da rinoplastia de Letícia Vieira (Crédito: Arquivo pessoal)

ÁCIDOS
É no inverno também que ocorre uma crescente procura por procedimentos estéticos que usam ácidos, como explica Isrraela Massena, especialista em harmonização facial. "O protocoll é um tratamento que consiste na combinação de diferentes terapias, incluindo ácidos, toxina botulínica intradérmica e infusão de ativos que são capazes de restaurar a qualidade da pele.”

Ela diz que o procedimento tem o objetivo de estimular o colágeno, atenuar rugas finas, melhorar a textura e clarear a pele. Desta forma, o tratamento é indicado para quem possui cicatrizes de acne, melasma e deseja rejuvenescer. “Por ser um procedimento à base de ácidos e por envolver peeling, as pessoas preferem realizar durante o inverno”, conta a especialista.

RENOVANDO A BELEZA NO INVERNO
Para aproveitar a estação mais fria do ano, Isabela Viegas separou três procedimentos minimamente invasivos que têm potencial para renovar a beleza no inverno. Confira!

  • Peeling químico

Serve para ajudar na regeneração da pele a partir da aplicação de ácidos para retirar as camadas danificadas e promover o crescimento de uma camada lisa. De acordo com a esteticista, o resultado é um rosto sem manchas e linhas de expressão.

No entanto, é preciso cuidado redobrado com a exposição ao sol por causa da aplicação de ácido. Com a redução na incidência dos raios UV (ultravioleta), a recuperação fica mais fácil.

  • Tratamentos a laser

Muito procurado para depilação ou para redução de cicatrizes, os tratamentos a laser exigem proteção diária contra as luzes solares. Caso contrário, pode haver manchas, cicatrizes, inflamações e outras complicações. Segundo Viegas, o contato com o sol precisa ser evitado pelo menos um mês antes e depois da realização do procedimento.

“O laser, além de melhorar a textura da pele, deixando-a mais fina e firme, também auxilia na produção de colágeno. Cada tipo de laser tem características próprias, que pedem cuidados específicos. No geral, a recomendação principal é sempre isolar a área, aplicar os produtos recomendados pelo profissional e evitar a exposição ao sol”, afirma a especialista.

  • Luz pulsada

Assim como o laser, a luz pulsada possibilita o tratamento de lesões causadas pelo fotoenvelhecimento. Por exemplo, amenização de sardas, manchas, rugas finas, flacidez e mais. A aplicação melhora o aspecto da pele de locais como a face, dorso das mãos, colo e pescoço. Os benefícios são mantidos, em média, por seis meses.

Último acesso: 17 Sep 2021 - 07:28:02 (1147647).