AnaMaria

Baleia Azul e o alerta à família

Um jogo virtual de 50 dias já provocou o suicídio de mais de 130 jovens pelo mundo. Saiba como proteger seu filho dessa armadilha

Izabel Duva Rapoport Publicado em 04/05/2017, às 13h43 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Baleia Azul e o alerta à família - Shutterstock
Baleia Azul e o alerta à família - Shutterstock
O jogo virtual Baleia Azul assustou pais do mundo todo nas últimas semanas. O passatempo propõe ao jogador desafios bizarros que vão desde desenhar a tal baleia até a automutilação e o suicídio. Entenda como funciona a “brincadeira” e saiba como manter seu filho longe dela.


Como funciona
O jogo virtual é como um “siga o mestre”, em que um mentor vai lançando mensagens com desafios cada vez mais perigosos aos participantes, quase sempre adolescentes.


Onde começou
Em 2015, uma investigação na Rússia ligou o suicídio de duas jovens com um desafio virtual de 50 missões. Desde então, esse número só cresce (já passou de 130 casos!) em diversos países. Oito estados brasileiros já registraram casos de participantes. 


Por que jovens entram nessa?
Segundo a terapeuta Joyce Goulart Magalhães, as razões que levam um adolescente a participar de qualquer grupo sempre estão relacionadas com identificação, desafio e curiosidade. “O jogo da Baleia Azul possui esses três elementos: a identificação com o tema do suicídio e da depressão; o desafio de superar limites e de provar para si e para os outros do que é capaz; e a curiosidade sobre o mistério da participação e suas consequências”, explica.



10 SINAIS!

 Mutilações no corpo.

 Desenhos de baleia.

 Uso da #i_am_whale (eu sou uma baleia).

 Postura estranha na madrugada (as mensagens são enviadas às 4h20).

 Silêncio duradouro e isolamento social.

 Interesse por filmes de terror e músicas psicodélicas.

 Desinteresse por antigos gostos.

 Abuso de álcool e outras drogas.

 Dificuldade em cumprir tarefas.

 Agressividade.



Como agir ao perceber sinais
“Os pais devem conversar com o filho e procurar ajuda profissional”, diz Joyce. Para auxílio virtual, busque o Fala Freud (terapia mensal a R$ 299 / site: falafreud.com) ou o CVV (apoio emocional gratuito por telefone, internet ou pessoalmente / site: cvv.org.br).


Antes que o pior aconteça...

 Conheça os amigos do seu filho, lugares que frequenta e as redes sociais e sites que utiliza.

 Converse com ele sobre o jogo da Baleia Azul.

 Descubra o que ele pensa sobre os fatos ao redor.

 Investigue se ele tem tendência à depressão e trate isso com seriedade.