AnaMaria
Famosos / Novela

Ex-atriz mirim de ‘A Vida da Gente’, Jesuela Moro ganhou prêmio ao receber amuleto da sorte de Nicette Bruno

Longe das telinhas, a jovem garante que pretende voltar ao meio artístico

Ives Ferro Publicado em 09/03/2021, às 08h00

Jesuela Moro hoje e em 2011 - Instagram/Globo
Jesuela Moro hoje e em 2011 - Instagram/Globo

Quem vê Jesuela Moro pode achar seu rosto familiar. A atriz esteve envolvida em grandes produções da Globo como as novelas ‘A Vida da Gente’ (2011) e ‘Guerras dos Sexos’ (2012), sendo a primeira reprisada atualmente na faixa das 18h da emissora. 

Tudo começou aos 7 anos, quando ela entrou no mundo artístico e teve o privilégio de contracenar com grandes nomes, como Fernanda Vasconcellos, Marjorie Estiano, Rafael Cardoso, Ana Beatriz Nogueira, Paulo Betti e Nicette Bruno (1933-2020). Entretanto, a distância da família a fez tirar um tempo para si e viver o que a infância lhe reservava.

“Eu não sou natural do Rio de Janeiro, antes das novelas morava em São José dos Pinhais (PR). Quando passei no teste, me mudei, mas devido a rotina, tive que deixar meus irmãos na minha cidade natal. Depois de ‘Guerra dos Sexos’, voltei a São José, onde moro atualmente, e aproveitei minha infância como criança. Hoje com mais maturidade, desenvolvi interesse pela profissão novamente e estou estudando e desenvolvendo projetos para esse ano”, garante Jesuela, hoje com 15 anos, à AnaMaria Digital.

POR TRÁS DAS CÂMERAS
Nos bastidores do prêmio ‘Melhores do Ano’ de 2011 no ‘Domingão’, Jesuela ganhou um amuleto da sorte da veterana atriz, que fazia sua bisavó na trama. Naquele dia, ela foi coroada como Melhor Atriz Mirim.

“A Nicette Bruno era a pessoa por quem eu tinha mais carinho, me tratava como uma bisneta mesmo, até chegou a me dar um anel de presente antes da minha premiação no Faustão, disse ela que era pra dar sorte. E deu mesmo, morro de saudades. Infelizmente, devido a este vírus, não poderei reencontrá-la. Mas, com certeza, guardarei as memórias com muito carinho no coração”, lembra.

Além de Nicette, Jesuela ainda teve contatos posteriores com Marjorie e Rafael: “Fomos ao cinema e ela me deu um Louro José que guardo até hoje com carinho. Já com a Fernanda, foi somente nos bastidores, mas tenho um carinho igual, me recebeu muito bem e tinha facilidade de fazer cenas com ela devido a forma que me tratava”, conta. 

(Foto:Globo/João Cotta)

Rafael Cardoso, por fim, acabou virando um grande amigo da então atriz mirim: “Fomos na casa dele, brincamos na piscina, tivemos um dia muito bacana. E nos bastidores também, sempre foi muito atencioso”. Outra curiosidade é que a atriz tinha medo de contracenar com Ana Beatriz Nogueira, que interpreta sua avó e é a grande vilã da trama.

“Com isso, os debates nas cenas com ela exigiam muito de mim como atriz. Acho que esse medo se originou devido ao excelente trabalho dela. Me passava tanta verdade que, no início, foi difícil para mim distinguir. Mas logo depois da primeira cena, ela já me tratou com muito carinho e perdi o medo”, diverte-se.

RETORNO DA CARREIRA
Assim como os telespectadores, Jesuela também foi pega de surpresa com a volta da história de Lícia Manzo ao ar. Tanto que ficou sabendo através da imprensa. “Foi uma sensação inexplicável de felicidade, era algo que eu estava esperando há anos e veio num momento perfeito, a volta da minha carreira”, celebra.

Mesmo sendo muito criança, a loira guarda diversos ensinamentos da pequena Júlia. Ela enfrenta a reprovação de parte da família e ainda tem de lidar com a mãe biológica, Ana, vítima de um acidente de carro que a deixa em coma profundo por anos.

“Tenho um carinho enorme pela minha personagem, a intensidade do meu trabalho era visível, eu não interpretava, vivia aquilo. Me colocava naquela situação e sentia de verdade. Acho que isso é uma das minhas maiores qualidades dentro da profissão, a intensidade. A Julinha me fez amadurecer muito, criar senso de responsabilidade cedo. Acho que ela foi crucial para me tornar a pessoa que sou hoje”, conta.

(Foto:Globo/ Zé Paulo Cardeal)

Aos 15 anos e cursando o 2º ano do ensino médio, a artista pretende investir cada vez mais em seu futuro como atriz. Durante a quarentena, fez a peça online ‘Bullying Games’ e segue com as aulas de teatro com a coach Simone Beghinni, que a acompanha desde a época de ‘Guerra dos Sexos’.

“Temos projetos vindo por aí. Esse ano irei ao Rio de Janeiro gravar um filme/websérie com supervisão artística da Cininha de Paula. Vai ser bem bacana, tenho expectativas muito boas quanto ao futuro da minha carreira”, encerra.

(Foto:Reprodução/Instagram)