AnaMaria
Famosos / Famosos

Graciele Lacerda diz que trabalha desde os 14 anos e não vive no luxo: ''Nunca fez parte da minha vida''

A influenciadora digital não esconde a origem humilde, assim como Zezé di Camargo, e explica que escolheu ter sua independência financeira

Karla Precioso Publicado em 12/09/2021, às 08h00

Zezé Di Camargo e Graciele Lacerda - Prime Foto Cinema
Zezé Di Camargo e Graciele Lacerda - Prime Foto Cinema

Nem sempre a fama foi novidade para Graciele Lacerda. Casada com o cantor Zezé Di Camargo, a morena preza pela simplicidade acima de tudo, mas ainda recebe críticas por conta da origem humilde. Apesar das adaptações, a musa fitness conta que nada de sua personalidade mudou com a chegada dos holofotes.

“Não foi muito difícil, pois eu continuo do mesmo jeito que era antes. Quando estou em casa, uso roupa mais básica, fico descalça, sem maquiagem. Não me preocupo com a aparência. O lado bom disso tudo é que o Zezé me conheceu assim, então eu não precisei mudar em nada com ele, me produzir ou mostrar algo que não faz parte de mim”, diz ela à AnaMaria Digital.

“Claro que, em vários momentos, eu tenho uma cobrança para usar roupas de marca, joias. Essa foi a parte que tive que aprender a lidar, saber que, em determinadas situações, serei analisada e vão comentar se eu não estiver à altura, mas, fora de eventos sociais, o que me deixa bem é saber que eu posso continuar sendo eu mesma com as pessoas que eu amo”, completa.

Lacerda ressalta que não vive no luxo e, mesmo tendo a opção de não trabalhar, escolheu ser independente financeiramente.

Eu sempre fui muito pé no chão e trabalho desde os meus 14 anos, pois sempre gostei de ter as minhas coisas e sabia das dificuldades de meus pais. O luxo nunca fez parte da minha vida e não é agora que passaria a fazer. A independência é uma característica minha. Como trabalhei desde muito nova, decidi continuar, pois não há nada melhor do que ter o nosso trabalho, conquistar as coisas e ter a admiração da pessoa que está ao seu lado.

Confira a entrevista completa!
Você se tornou sinônimo de cuidados com a saúde e a beleza, e hoje é uma referência no mundo fitness. O que você pensa a respeito da cultura do corpo perfeito? 
Corpo perfeito é aquele que a pessoa se sente bem ao olhar no espelho. Eu sou uma pessoa que mostro a naturalidade, não escondo meus defeitos, pois prezo mais a saúde do que o tal corpo perfeito. Se a gente quer melhorar algo em nosso corpo, que seja para nos fazer se sentir bem, como falei no início, e nunca por comparação, por achar que o corpo de outra pessoa é melhor. É legal nos inspirar em outra pessoa, mas isso não significa que vamos nos esconder por não ter o corpo dela ou fazer loucuras para ficarmos parecidas. É preciso aceitar e respeitar a estrutura do nosso corpo. Quando a gente se aceita, tudo fica mais leve.

Você já ultrapassou a marca de 1,3 milhão de interessados no seu estilo de vida nas redes sociais. A que você atribui todo esse interesse? 
Acredito que minha autenticidade, a forma com a qual falo sobre hábitos saudáveis, sem radicalismo, mostrando realmente as coisas que aplico no dia a dia, tudo isso ajudou. Acredito ainda que as pessoas se identificam com o meu jeito. 

Como funciona o programa de emagrecimento Eduque Seu Peso? 
Por meio de uma plataforma, os alunos têm acesso a diversos materiais, como protocolo de emagrecimento com fases e estratégias variadas, vídeos de exercícios simples, e-books de receitas... Eu fico com a parte motivacional. Há vídeos com dicas que aplico na minha rotina. Tem ainda o suporte nutricional dado por um especialista aos participantes – uma forma de auxiliá-los sobre as substituições necessárias –, além de dicas de uma psicóloga sobre temas relevantes, como ansiedade, autoestima e compulsão alimentar. Por compartilhar sobre meu estilo de vida, os seguidores começaram a ter mais curiosidade sobre o que eu comia, como fazia e, com isso, eles diziam que se sentiam motivados a também buscar um estilo de vida saudável. Percebi que eu poderia ajudar oferecendo um suporte nutricional por um valor baixo. Já foram mais de 6 mil participantes e há pessoas que perderam mais de 28 kg com o método.

Zezé é um dos adeptos, né? 
Neste ano, ele fez o protocolo do programa e teve um resultado incrível. Sem falar na diferença que sentiu, não só no corpo como também na saúde (diminuiu o refluxo e melhorou a qualidade do sono). Agora ele entendeu que adotar uma alimentação saudável não significa fazer restrições na hora de comer – era uma ideia que ele tinha – e aprendeu a equilibrar as refeições. 

Fale mais sobre sua rotina saudável e a importância da autoaceitação.
Eu sou adepta da reeducação alimentar. Vivo em equilíbrio, sem me privar de nada. Atividade física é algo que sinto prazer em fazer. Então, minha rotina é pautada nisso: alimentação equilibrada e exercícios. Mas a autoaceitação deve vir em primeiro lugar. Devemos antes de tudo olhar para dentro de nós e não se comparar ao mundo das redes sociais, em que o corpo de todo mundo é lindo e a vida é perfeita. Todos têm um ponto fraco e uma dificuldade. O mais importante é se valorizar, identificar o seu melhor, e não focar em um padrão imposto por alguém. Quando a pessoa se aceita e enxerga as qualidades que tem tudo à sua volta fica melhor: relacionamento, autoestima, postura no trabalho... 

Você mudou seus hábitos com a chegada dos 40 anos? 
Na verdade, eu continuo como antes, porém com uma intensidade um pouco maior. Se o metabolismo aos 30 muda, aos 40, muda ainda mais. Continuo me cuidando e fazendo cada vez escolhas mais saudáveis em prol da minha saúde.

O avançar do tempo é assustador para você? 
Sou uma pessoa muito tranquila. Não me preocupo com a idade e o que vem junto com ela – cabelos brancos e rugas, por exemplo [risos]. Na pandemia, meus fios brancos ficaram mais evidentes por não poder ir ao salão, e foi algo que não me incomodou, assim como as linhas de expressão. Não sou refém de botox ou tratamentos estéticos. Sei que isso é algo natural e acredito que temos que saber lidar com cada etapa. Cuidando da alimentação e mantendo uma prática regular de exercícios dá pra ficar bem mesmo com o passar dos anos.

Como você se sentiu ao ver que Zezé eternizou seu nome no braço com uma tatuagem? 
É algo que eu não esperava, pois a forma de ele demonstrar amor é mais discreta. Chorei muito. Eu fiquei bastante surpresa, emocionada e extremamente feliz. Costumo brincar que valeu mais que um pedido de casamento. 

Para Graciele, o que é o amor? 
É o sentimento mais puro que existe. O significado de amor é o que sinto pelo Zezé, minha família e os animais. Um sentimento leve, de zelo, cuidado, sem esperar nada em troca. 

Qual o segredo para manter a chama acesa do casal? 
Sempre olhar para o outro como namorado, como se estivesse no início do relacionamento. Acredito que o erro de muitos casais é esquecer esse frio na barriga que o início do relacionamento traz. Muitas vezes, eles se deixam levar pela rotina e se acomodam. Nunca deixar de olhar o outro como se fosse o início é um dos segredos para manter a chama acesa.