AnaMaria
Famosos / Preconceito

Ludmilla relembra discurso que fez em apresentação no 'BBB21': ''Necessário e urgente''

Cantora se apresentou no reality show e desabafou contra o racismo

Da Redação Publicado em 13/05/2021, às 07h32 - Atualizado às 07h34

Ludmilla participou do 'Conversa com Bial', na madrugada de quinta-feira (13) - TV Globo
Ludmilla participou do 'Conversa com Bial', na madrugada de quinta-feira (13) - TV Globo

Ludmilla foi uma das cantoras que marcou presença no 'BBB21' ao se apresentar em uma das festas. Na ocasião, a artista chamou a atenção por discursar contra o racismo, o qual caracterizou como "necessário e urgente" ao participar do 'Conversa com Bial', na madrugada dessa quinta-feira (13).

A cantora afirmou que sentiu a necessidade de falar sobre o assunto porque tinha perdido um processo na Justiça, no qual uma apresentadora havia dito que seu cabelo parecia com uma palha de aço, na mesma semana.

"O juiz havia dado ganho a ela por liberdade de expressão. (...) Era um assunto necessário e urgente. Se eu pudesse ter mais tempo pra falar, eu faria isso de todo o meu coração. Por isso eu quis deixar aquele recado. Tem que respeitar", desabafou. 

Ludmilla disse ainda que essa foi uma das apresentações mais importantes que já fez na televisão. "Eu fui lá levar uma mensagem além de alegria e música. Tava ecoando a voz de milhares de brasileiros que são ocultados o tempo inteiro. (...) A cada passo que a gente dá pra frente, a gente dá 30 pra trás. Isso perante o Brasil inteiro, foi uns 60 passos pra trás", continuou.

A festa em que a cantora se apresentou e discursou aconteceu horas depois do ex-BBB Rodolffo comparar o cabelo de João Luiz com a peruca de homem das cavernas do castigo do Monstro, que repercutiu como racismo.

Thiaguinho, que também participou do 'Conversa com Bial', comentou sobre o tema e contou do projeto que tem tocado em suas redes sociais para abordar o assunto. 

"Você ser preto no Brasil... Você lembra disso desde a hora que você acorda, até a hora que vai dormir. (...) Pouca gente fala disso na escola, eu estudei numa escola particular onde eu era o único negro. Demorei a entender como lidar com aquele assunto porque não era conversado, pelo contrário", explicou.