AnaMaria

Aos 21 anos, João Fernandes fala sobre experiência de ser pai separado: ''Os planos não mudam''

O ator, que interpretou Tadeu em ‘Malhação: Toda Forma de Amar’, relatou a experiência

Da Redação Publicado em 02/08/2020, às 11h51 - Atualizado às 11h52

O pequeno Nicolas tem 1 ano de vida - Instagram
O pequeno Nicolas tem 1 ano de vida - Instagram

João Fernandesestava namorando a atriz Mabel Calzolari, com quem teve o filho Nicolas. Os dois planejavam um casamento na praia, mas os rumos mudaram e o relacionamento chegou ao fim. No entanto, os dois mantêm a amizade em prol da criação do pequeno.

Aos 21 anos, o ator concedeu uma entrevista ao Gshow, portal de entretenimento da Globo, para relatar como é ser pai separado. 

"A vida nos fez eternos melhores amigos e acho que a gente tenta se entender nesse processo da vida, sempre levando o Nicolas como prioridade. Os planos não mudam, meu foco na vida sempre foi ser muito feliz. Nicolas é um neném que só espalha alegria por onde passa e me dá muita força para passar por tudo na minha vida, vamos ver o que o destino preparou pra gente. Estamos todos aqui para sermos surpreendidos e encararmos com amor e felicidade", disse. 

Sobre a educação do menino, João Fernandes contou que dialoga bastante com a ex-namorada.

"Educar um filho é um processo eterno, então vamos nos adaptando, sempre com muito diálogo, a qualquer circunstância que nos é proposta. No momento a gente divide semana sim e semana não, mas tudo depende das circunstâncias dos dois, a gente troca bastante ideia, é necessário. Não mudou nada. Ele sempre foi muito grudado em nós dois e a gente faz questão que ele fique o mais confortável possível em todos os nossos combinados", explicou.

"Ser pai é ser exemplo, Nicolas me ensinou isso. Às vezes estou fazendo abdominal e ele faz igual, estou cantando e ele canta igual. Aos poucos vou percebendo que quero que ele seja de mim apenas coisas boas, então tenho que evoluir diariamente para ser melhor para ele. Me emociona muito a confiança que ele tem em mim, o abraço, os primeiros passos, o olhar de desconfiança que parece que pergunta: 'posso, pai?'(risos)", concluiu.