AnaMaria

Chico Pinheiro critica Paulo Guedes após aumento da energia: ''Sem luz ou sem dinheiro''

Jornalista também não poupou críticas às declarações debochadas do ministro da Economia

Da Redação Publicado em 27/08/2021, às 10h59 - Atualizado às 10h59

Chico Pinheiro criticou o Ministro. - TV Globo
Chico Pinheiro criticou o Ministro. - TV Globo

Chico Pinheiro fez duras críticas ao ministro Paulo Guedes na manhã desta sexta-feira (27), durante uma participação no jornal 'Bom Dia SP'. Em sua entrada ao vivo, o jornalista comentou sobre as declarações irônicas de Paulo Guedes em relação ao aumento do preço da energia no Brasil.

O político afirmou que "não adianta ficar sentado chorando" durante uma audiência pública no Senado, na última quinta-feira (26), após anunciar que a taxa extra na energia deve aumentar novamente.

Chico não poupou nas críticas: "Brasil deve anunciar a manutenção bandeira vermelha, em patamar mais alto. Governo mantém a bandeira vermelha e a conta pode subir ainda mais. Ministro Paulo Guedes disse ontem 'não adianta sentar e chorar não'. Vai fazer o que então? Vamos apagando a luz para ver se a gente não fica sem luz ou sem dinheiro."

BANDEIRA VERMELHA, SIM!
Ele ainda ironizou a situação, lembrando da frase "nossa bandeira jamais será vermelha", que é constantemente dita por Jair Bolsonaro em referência ao fim do governo petista. 

"Dizem que a nossa bandeira jamais será vermelha, olha aí. Ela não muda de cor, só vermelha", ressaltou Chico. Quando falamos em contas de luz, as bandeiras tarifárias amarela, vermelha e vermelha patamar 2 significam o aumento no preço da energia para o consumidor final.

BARATOS, SÓ QUE NÃO!
Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a afirmar que a gasolina e o gás estão “baratos” no Brasil, em conversa com apoiadores de seu governo no Palácio da Alvorada na última quarta-feira (25). “A gasolina está barata, o gás de cozinha está barato. O pessoal tem que entender a composição do preço, senão acabam me culpando por tudo o que acontece no Brasil”, disse Bolsonaro, de acordo com o UOL.

Ao contrário do que afirma Bolsonaro, um levantamento realizado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) revela que em algumas regiões do país o preço do litro da gasolina nos postos já passa de R$ 7 em quatro estados: Acre, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Tocantins.

A diferença de custo entre os estados pode ser creditada ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que varia entre as unidades da federação. Já os botijões de gás de cozinha de 13 kg estão sendo vendidos por cerca de R$ 100.

Também na última quarta, o IBGE revelou que, de acordo com uma pesquisa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15 (IPCA-15), nos últimos 12 meses, a gasolina acumula alta de 39,52% em seu preço nos postos do Brasil.