AnaMaria

Fátima Bernardes elogia Jornal Nacional: ''Sinto orgulho''

A apresentadora também disse que não sente saudades de trabalhar no jornal e rebateu fake news

Da Redação Publicado em 19/06/2020, às 11h45 - Atualizado em 06/07/2020, às 19h37

Em entrevista à VEJA, a jornalista ainda falou sobre o papel da imprensa - Instagram | TV Globo
Em entrevista à VEJA, a jornalista ainda falou sobre o papel da imprensa - Instagram | TV Globo

Mesmo com tantos acontecimentos, Fátima Bernardes garantiu, em entrevista à VEJA, que não sente saudades de estar na bancada do Jornal Nacional, mas elogiou a atração.

“Tenho um papel importante no Encontro quando falo de feminicídio, converso com pessoas que perderam familiares na pandemia e ajudo a entender que isso vai passar. A decisão de sair foi amadurecida. Sinto orgulho do que está sendo feito no JN”, falou. 

Além disso, a jornalista acredita que a imprensa está cumprindo o seu devido papel. 

“Está [cumprindo]. Ela é fundamental para jogar luz sobre os fatos, trazer à tona a verdade, expor ataques às instituições e combater fake news. É muito bom ver que o público, como mostram as pesquisas, se reencontrou com o jornalismo. Eu me sinto viva neste processo”, analisou. 

Em outro momento da entrevista, Fátima foi direta ao responder se tinha medo das fakes news [notícias falsas]. 

“Medo, não, indignação. Inventaram que eu tinha reformado a casa e dado 350 000 reais ao Adélio Bispo, autor da facada em Bolsonaro. Fiz um post desmentindo. Em outra ocasião, discuti no ar a questão da ética médica, circulou nas redes que eu defendia bandidos e rebati no próprio programa. A investigação em torno das fake news é urgente. É inacreditável como se apoderam dos canais de informação e veiculam o que bem entendem, de forma desonesta e irresponsável”, disparou.