AnaMaria

Ucrânia acorda sob ataque russo na manhã desta quinta-feira (24)

Vladimir Putin, deu ordem para que exército russo atacasse a Ucrânia nesta manhã

Da Redação Publicado em 24/02/2022, às 10h40

Russia declara guerra a Ucrânia e exército russo invade o país. - Instagram/@casa branca/@volodymyr_zelensky_/@lídervladimirputin
Russia declara guerra a Ucrânia e exército russo invade o país. - Instagram/@casa branca/@volodymyr_zelensky_/@lídervladimirputin

A Ucrânia acordou sob forte ataque russo na manhã desta quinta-feira (24). Aflita, a população tenta fugir do país em um êxodo sem precedentes em meio a invasão de tanques, helicópteros e aviões pilotados por militares da Rússia.

A população ucraniana foi despertada com sirenes que alertavam sobre uma invasão ao país do leste europeu. Antes mesmo que as pessoas pudessem se organizar para uma possível fuga, porém, os ataques começaram em diversas partes do país.

De acordo com a imprensa internacional, barulho de explosões podiam ser ouvidos a quilômetros de distância. A população ucraniana também formou uma fila gigantesca de carros em estradas mais afastadas de onde acontecia o conflito para deixar o país invadido, enquanto outra parcela dos cidadãos procuravam abrigos subterrâneos para se protegerem. 

As primeiras explosões já iniciaram logo na madrugada, enquanto o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fazia uma declaração pública, relatando que havia autorizado uma operação militar contra a Ucrânia. 

Putin também ameaçou qualquer ajuda ou interferência de outros países ao conflito, o que pode ser um recado claro aos Estados Unidos e aos países da Europa que são contrários aos ataques. “Quem quer que tente interferir,  e ainda mais para criar ameaças ao nosso país, ao nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e o levará a consequências como você nunca experimentou em sua história. Estamos prontos para qualquer desenvolvimento de eventos. Espero ser ouvido”, disse o chefe de estado russo.

RESPOSTA UCRANIANA

Em resposta, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, declarou Lei Marcial no país, com o fechamento de escolas e deixando os hospitais em alerta máximo. Solicitou ainda que toda a população fique em casa, o que não foi atendido, já que as pessoas estão se amontoando nas fronteiras para fugir da guerra.

Na última quarta-feira (23), por meio de um decreto, a Ucrânia começou um processo de recrutamento de reservistas para o corpo ativo das Forças Armadas do país, convocando pessoas entre 18 e 60 anos para servir ao exército por até um ano. O presidente também liberou o porte de arma para qualquer cidadão ucraniano que seja capaz de manusear a arma.

ABALO NO MUNDO

As bolsas de valores de todo o mundo estão despencando e o petróleo alcançou um dos maiores valores dos últimos anos.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que  Washington e seus aliados vão impor “sanções severas” sobre o que ele chamou de “guerra premeditada” de Putin.

Países Europeu ja se preparam para receber a população que está fugindo da Ucrânia. Enquanto isso, a China não reconheceu uma “invasão” do país russo à Ucrânia, e apenas solicitou que os dois países mantivessem moderação.

Já a Bélgica cobrou que a União Europeia pare de emitir vistos para os russos. A Otan declarou, por meio do secretário-geral Jens Stoltenberg,  que a entidade nunca aceitará a violação do direito ucraniano e ofereceu  apoio ao país invadido. 

Líderes europeus, como Boris Johnson (Reino Unido) e Emmanuel Macron (França) prometem retaliar a Rússia economicamente.