AnaMaria
Descomplica / Despesas

Fuja das armadilhas e aproveite para economizar no mercado

Garanta um carrinho de compras cheio e sem gastar muito

Júlia Arbex Publicado em 07/04/2019, às 17h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Com mudanças nos hábitos de consumo é possível reduzir a conta do mercado ou da feira - Shutterstock
Com mudanças nos hábitos de consumo é possível reduzir a conta do mercado ou da feira - Shutterstock

Os gastos com a alimentação estão entre os principais itens que comprometem o orçamento das famílias brasileiras: 30% da renda. Mas com mudanças nos hábitos de consumo é possível reduzir a conta do mercado ou da feira. 

Para a educadora financeira e especialista em psicologia econômica Maiara Xavier, se seguirmos algumas regras simples (mas importantes), dá para economizar até 55% ao mês. A seguir, veja os conselhos da especialista.

NATURAIS X INDUSTRIALIZADOS
Sempre que possível, opte pelos alimentos naturais no lugar dos industrializados. “Abuse das verduras, legumes e frutas. Varie o cardápio e escolha os produtos da época, que costumam ser mais em conta”, diz. 

Você vai precisar, obviamente, se organizar para cozinhar e preparar os pratos, mas, no final, perceberá que isso traz economia e bem-estar.

IDA AO MERCADO
Planeje-se para ir uma vez por semana no mercado e com a lista do que comprar em mãos. Esqueceu de algum produto? Volte apenas se for muito urgente. Na medida do possível, improvise. 

“Isso porque cada ida ao mercado faz com que acabemos comprando coisas desnecessárias”, alerta. Além disso, mesmo fazendo compras uma vez por semana, a dica é que seja em dias alternados, para aproveitar melhor as boas promoções.

PROMOÇÕES
Observe as promoções dos produtos que ficam em destaque. Os preços costumam ser bem atraentes, seja porque a data de validade está próxima ou porque o estabelecimento vai deixar de trabalhar com a marca. Vale se aproveitar disso!

OLHO NAS PRATELEIRAS
Evite os produtos dispostos nas gôndolas do meio - que estão na altura dos nossos olhos - sem antes verificar as demais. “Os itens que estão próximos ao campo de visão raramente têm o melhor custo-benefício. Eles estão nessa posição por uma questão de acordos comerciais e estratégia de marketing”, lembra Maiara.

EMBALAGENS TAMANHO FAMÍLIA
Não se engane! As versões em embalagens maiores nem sempre são mais em conta. “Faça o cálculo: veja se vale a pena comprar um amaciante grande ou dois pequenos”, ensina a especialista. E aqui não vale olhar só para o tamanho da embalagem. Atente-se também à quantidade de produto. Basear a compra só no preço pode não ser o melhor dos negócios.

PREÇO QUEBRADO
Fique de olho em todos os valores que terminam em “9”. Os famosos R$3,99, R$2,99... Analise o preço de cada produto. Pode ser que você perceba que esses itens não são os mais baratos. “Geralmente, essas quantias quebradas são usadas justamente para nos confundir na hora da compra”, recomenda.

APLICATIVOS
Por último, veja se o estabelecimento que você frequenta tem um aplicativo de desconto ou programa de fidelidade. Eles são usados, geralmente, para fidelizar o cliente e oferecem vários descontos, principalmente para os produtos que costumam estar no seu carrinho de compra. “É uma ótima maneira de conseguir promoções extras”, finaliza.