AnaMaria

Isis Valverde desabafa sobre críticas que sofre em relação à maternidade

A atriz também destacou qual foi o maior desafio desde o nascimento de Rael

Da Redação Publicado em 27/05/2020, às 16h50 - Atualizado em 25/06/2020, às 23h14

Isis Valverde desabafa sobre críticas que sofre em relação à maternidade - Reprodução/Instagram
Isis Valverde desabafa sobre críticas que sofre em relação à maternidade - Reprodução/Instagram

Isis Valverde fez um verdadeiro desabafo a respeito das pressões que vem enfrentando desde que adentrou o universo da maternidade.

Durante uma live que realizou com a jornalista Mônica Salgado, na noite da última terça-feira (26), a beldade falou a respeito das criticas constantes que recebe das seguidoras. 

“Eu tirava uma foto na piscina, e as pessoas me julgavam. Diziam que era a babá que criava o meu filho. E eu tive ‘baby blues’”, afirmou a mãe de Rael, de apenas 1 ano. 

A artista explicou que os ataques eram intensos durante os primeiros meses, mas contou com o apoio dos familiares. 

“Gente, desculpa. Existe um filho? Existe. Mas existe uma mulher também. Eu amamentei meu filho exclusivamente por seis meses, me dediquei... Mas era crítica atrás de crítica. Você imagina uma mulher que não tem a rede de apoio que eu tenho! Minha mãe e meu marido rearrumavam a minha cabeça. No início da maternidade, eu senti muita agressão a mim. Eu ficava pensando em outras mães. Pessoas que se sentem mal porque foram tomar um açaí com o marido. E aí por isso se sentem péssimas”, explicou. 

A atriz também declarou que a primeira vez que viajou sem a companhia do pequeno, foi uma experiência difícil. 

“Primeira viagem que fiz e fiquei sem meu filho parecia que eu estava pecando. Ficava chorando com os peitos cheios de leite. Ele já estava com 6 meses... Eu olhava pro meu peito e chorava, explodia de leite. Foi horrível! Foi uma cena de que eu nunca mais vou me esquecer. O que mais me marcou foi essa descoberta da nova forma de transitar pelo mundo tendo um filho”, declarou. 

A morena destacou que não há uma única maneira de ser mãe e isso deve ser respeitado por todos. 

“A gente tem que aceitar a maternidade singular. Você não pode querer que a outra mulher seja a mãe que você é. Tem gente que é feliz sendo só mãe, não se importa de não trabalhar fora. Tenho amigas assim e tudo bem”, assegurou.