comportamento   / Gestação e pets

Saiba como preparar seu pet para receber um bebê em casa

Confira dicas de como adaptar seu cãozinho para conviver bem com um novo integrante na família 

Marcela Barbieri Boro Publicado domingo 28 março, 2021

Confira dicas de como adaptar seu cãozinho para conviver bem com um novo integrante na família 
Prepare seu cachorrinho para conviver com você, antes e depois da gestação - Divulgação

Quando a mulher se torna gestante, várias mudanças acontecem. O cheiro dela muda, o corpo, as prioridades e a rotina. Para um animal que não entende exatamente o que está acontecendo, isso pode parecer assustador e, a partir daí, surgir alterações comportamentais. 

Por isso, é fundamental que os novos papais se preocupem em adaptar o cão a essa nova fase. Para isso, é preciso associar o máximo de itens possíveis relacionados ao bebê com coisas que o cachorro goste, como petisco e brincadeiras. 

Utilize cheiros de pomadas e lencinhos, barulhos de chocalhos... Parear esses estímulos com uma situação positiva para o animal, certamente, fará com que ele comece a gostar deles também. 

Também é bom corrigir os latidos que o cachorro tende a fazer para o interfone e à campainha. Um treino de dessensibilização e contra-condicionamento, em que se direciona o animal a realizar um comportamento contrário ao latido, quando a campainha aparecer, pode ajudar.

Exemplo: quando toca a campainha ele precisa ir pra caminha para ganhar um brinquedo recheado com petisco úmido. Isso pode fazer com que os latidos não aconteçam mais. 

TREINOS DE SEGURANÇA COM O BEBÊ

Depois do nascimento, alguns pais vão preferir que o cão deixe de subir no sofá e na cama. É importante construir esse limite ainda na gestação, para que o cão não associe, negativamente, a chegada do bebê com a perda do espaço. 

Inicie um treino para que o animalzinho respeite um raio de segurança permitido por você e utilize comandos como “senta” e “fica” para os espaços em que ele não poderá acessar. Lembre-se de sempre oferecer algo positivo para o animal nos momentos em que vai precisar ficar mais “separado”. 

Esse processo não é algo simples e pode ser necessário a contratação de um especialista em comportamento animal para ajudar. Pense nisso como um investimento para que seu cãozinho e o bebê possam conviver de forma saudável e segura no futuro.

Último acesso: 16 Sep 2021 - 23:55:31 (1142850).