AnaMaria
Descomplica / Educação

"Acesso à educação não é um privilégio, mas um direito", afirma Débora Aladim

Youtuber Débora Aladim acumula mais de 1,3 milhão de seguidores nas redes sociais

Raquel Borges Publicado em 01/05/2022, às 14h30

Débora Aladim mostra que educação e saber é para todos, sim! - Instagram/@dedaaladim
Débora Aladim mostra que educação e saber é para todos, sim! - Instagram/@dedaaladim

A mineira Débora Aladim, de 22 anos, com sotaque cativante e aulas bem descontraídas, descobriu aos 15 que poderia ajudar milhares de estudantes com seus “resumões”. Pelo menos foi assim que ela chamou na época suas videoaulas – aulas dadas a amigos de escola sobre as matérias que cairiam na prova.

A influencer de educação se formou em História e o canal continua firme e forte. Suas aulas de história, redação e dicas de estudo ajudam milhões de estudantes e pessoas que querem aprender. AnaMaria bateu um papo com a YouTuber para saber um pouquinho da história por trás dos vídeos educativos. Confira a entrevista na íntegra!

Como tudo começou…

Débora: Na verdade, tudo aconteceu meio que por acidente. Já tinha o costume de estudar com resumos e emprestava os cadernos para os colegas. Em 2013, machuquei a mão, então os colegas pediram para fazer o resumo em vídeo. Até hoje esse vídeo existe e é o primeiro do canal.

Conte um pouquinho sobre a infância. O que se recorda com carinho?

Débora: Eu cresci no interior de Minas Gerais, em Congonhas, e amava ver as estátuas de Aleijadinho [escultor e entalhador do Brasil Colônia] no centro histórico. Uma vez, a escola fez uma excursão e fui quase uma guia turística, de tanto que ia lá.

Qual lembrança mais querida que você tem da escola?

Débora: Creio que quando comecei a fazer os vídeos e recebia elogios dos colegas. Ah, me sentia amada! Não tinha muitos amigos e comecei a ter assunto para puxar papo [risos]. Sempre fui boa aluna, mas nas matérias que gosto. Tinha dificuldade em exatas e ciências, e cheguei a pegar recuperação.

Tinha um professor predileto que inspirou você?

Débora: Sim! Nunca irei esquecer o Alexandre, meu professor de história do ensino médio. Ele não só me apoiou na escolha do curso como me deu meu primeiro emprego e primeiro estágio. Eu o via como um super-herói. Tive medo dele desaprovar minha escolha, mas, quando contei, apoiou, e eu quase chorei. Até hoje uso os cadernos dele e provas como referência para fazer meus vídeos. Sempre será uma inspiração para mim.

Qual sua visão do futuro da educação no Brasil?

Débora: Estamos vivendo momentos difíceis e muita gente parece esquecer que educação e acesso à faculdade não é um favor ou privilégio, mas um DIREITO de todos. Se os jovens tiverem acesso e oportunidade, certamente, continuaremos formando incríveis universitários e profissionais. Falta é espaço para todos.

De que maneira a pandemia atingiu você como educadora?

Débora: A princípio, houve um maior interesse em cursos on-line e videoaulas no geral, mas o impacto negativo foi maior, porque grande parte dos estudantes perdeu não só o apoio dos professores e das aulas em si, mas também a convivência com os colegas. Eles passaram a sofrer os impactos psicológicos. De forma geral, infelizmente, a pandemia evidenciou e até aumentou a desigualdade que já havia, tanto que esse ano o ENEM teve o menor número de inscrições desde 2007.

Como motivá-los para que não abandonem a escola?

Débora: É algo relativo, porém costumo dizer que todo mundo que está estudando tem um objetivo maior nisso: seja terminar os estudos, conseguir uma promoção no emprego, uma profissão dos sonhos ou entrar na faculdade. Com a pandemia, o abandono dos estudos e a evasão escolar vêm acontecendo por motivos maiores que a falta de motivação. É um dos reflexos da retirada de investimentos na educação... E isso evidencia que, nesse cenário de instabilidade, a educação teve que ser posta em segundo plano por pessoas e famílias que estão passando por problemas como desemprego, de saúde e imensa insegurança alimentar.

Uma mensagem para os estudantes não desistirem...

Débora: Parabéns por estar correndo atrás do seu sonho! Os desafios são muitos, mas o seu conhecimento é algo que ninguém pode tirar de você e, mesmo que estudar pareça algo solitário, milhares de pessoas estão passando pelo mesmo. É normal sentir nervosismo, e até mesmo duvidar de si, mas não deixe isso impedir você de seguir adiante. Toda jornada começa com um pequeno passo.