AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

"Como pode mentir tanto?!"

Já que a mentira faz parte do universo infantil, só nos resta aprender a lidar com isso e, principalmente, evitar faltar com a verdade em casa

Júlia Arbex Publicado em 01/08/2016, às 11h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
"Como pode mentir tanto?!" - Shutterstock
"Como pode mentir tanto?!" - Shutterstock
De onde vem essa necessidade?

Há crianças que mentem mais do que outras, e tudo depende do ambiente onde ela vive. “Se o pequeno convive com pessoas que têm a mania de mentir, ele vai imitar. E, diferentemente do que muitos pais e responsáveis acham, o comportamento vai se tornando um hábito, pois ele vai achar que a mentira é uma solução fácil para resolver os problemas”, explica Celeste Corral Baptista, responsável pelo ambulatório de psiquiatria infantil do Hospital Regional de Presidente Prudente (SP). Ainda de acordo com a especialista, muitas crianças acabam encontrando na mentira uma forma de se proteger quando fazem algo de errado e não têm coragem de enfrentar as consequências.
“As primeiras mentiras surgem dentro de casa – como culpar os outros por algo que ela mesma fez, principalmente, quando tem
irmãos. As próximas invenções acontecem na escolinha. Muitas vezes, são mentiras que prejudicam outras crianças. Ela pode começar também a manipular todo o ambiente para mostrar que não foi ela a responsável”, esclarece Celeste. Porém, a psiquiatra alerta que não devemos confundir mentira com fantasia. “Até uns 8 anos, a criança ainda tem um pensamento mágico, de faz de conta. Nessa fase, elas são supercriativas e, às vezes, criam situações. Já a mentira é dita para conseguir alguma coisa”, explica.


Mentira na adolescência

Para a especialista, a maioria dos adolescentes mente para camuflar comportamentos que não serão aprovados pelos pais ou pela sociedade. Além disso, essa é uma fase de experimentações em que, algumas vezes, eles têm a necessidade de fazer coisas sozinhos e não querem revelar nada para ninguém, especialmente para os pais ou responsáveis. Agora, se você descobriu que seu
filho disse que foi a algum lugar, mas foi para outro, ou que usou o dinheiro do lanche para comprar outra coisa, fique atenta. Primeiro, ouça-o, tente entender seus argumentos e explique que esse não é o caminho. Diga também que, por pior que seja a situação, devemos encará-la, e que vocês sempre estarão ao lado dele. Por isso, pode (e deve) dizer a verdade. Agora, se as mentiras continuarem, procure um psicólogo. “Para parar de mentir, o adolescente precisa ter um vínculo positivo e que o toque,
pois a figura dos pais não é a melhor referência para ele neste momento, e sim os amigos ou um paquera.”


Como agir diante de tanta invenção

Segundo Celeste, não existe mentira sem importância. Todas devem ser levadas em consideração e encaradas como graves. Veja
como prevenir o problema e lidar com crianças que mentem demais:

1 Se não quer que ele minta, não conte mentiras também. “Evite até mesmo aquelas sociais, como ‘diga para fulana que não estou’ ou ‘vou falar que peguei uma gripe para não ir até lá.’” Desse modo, você mostrará que consegue assumir seus próprios erros e que deve enfrentar as responsabilidades. E, ao presenciar isso, tanto a criança quanto o adolescente se sentirão capazes de fazer o mesmo.

2 Para ele entender que mentir não é um comportamento correto, você deve chamá-lo para conversar assim que descobrir o problema. De uma maneira amigável, mas dura e objetiva, deixe claro que em nenhuma circunstância isso é aceitável.

3 Mostre que o que está dizendo é para o bem dele. Deixe claro que mentir não é uma atitude esperta e que, caso ele continue tendo esse comportamento, cada vez mais se meterá em encrencas.

4 Diga que se um dia você não pegar a mentira, outras pessoas podem descobrir e, assim, ele aprenderá a lição da pior maneira.

5 Se ele continuar mentindo, procure ajuda profissional. “Além de trabalhar a questão da mentira, o psicólogo vai acabar entendendo o que leva seu filho a não dizer a verdade: se é porque tem baixa autoestima, ciúme do irmão...”, finaliza Celeste.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!