AnaMaria

Fátima Bernardes pontua diferença entre 'Encontro' e 'JN': ''Antes tinha uma certa formalidade''

A apresentadora estará no 'Altas Horas' deste sábado (26)

Da Redação Publicado em 26/09/2020, às 11h12 - Atualizado às 11h27

Apresentadora conversou com Serginho Groisman - Instagram
Apresentadora conversou com Serginho Groisman - Instagram

Fátima Bernardes estará presente, de forma remota, no programa 'Altas Horas' deste sábado (26). Em conversa com o apresentador, ela falou sobre as diferenças que percebeu ao migrar do 'Jornal Nacional' para o 'Encontro', ambos da TV Globo.

Para ela, uma das maiores diferenças está em sua interação com o público, já que o bate-papo com os telespectadores são uma "conversa de cozinha".

"Antes tinha uma certa formalidade. Quando eu vim para o entretenimento virou conversa de cozinha mesmo", disse a apresentadora do 'Encontro'.

Anos à frente do 'Jornal Nacional', Fátima disse que o público também mudou, o que é algo bom para ela.

"Uma coisa que eu achei incrível é que eu ganhei um público mais jovem e infantil, que eu não tinha no 'Jornal Nacional'", celebrou. 

A entrevista completa será exibida no 'Altas Horas' de hoje, a partir das 23h.

CARREIRA

Se engana quem pensa que Fátima Bernardes sempre quis ser jornalista. À frente do ‘Encontro’, exibido na TV Globo desde 2012, Fátima Bernardes relembrou, em entrevista ao Gshow em 2019, a época em que dedicava cerca de oito horas do seu dia ao sonho de se tornar a primeira bailarina do Theatro Municipal.

Fátima disse que foi preciso sacrificar muitos momentos pela dança. A apresentadora contou quando decidiu abandonar as sapatilhas para subir na carreira jornalística.

"Abri mão de vários fins de semana, sim. Agora danço de maneira leve. Lembro da minha estreia, com oito aninhos, no Theatro Municipal, de viajar com grupo de amigas, da primeira vez que fui para fora do país, em Nova York, fazer aulas de jazz, balé e sapateado... Foi incrível. Depois, com os clipes que fiz para o 'Fantástico', percebi que não era mais esse caminho. Da mesma maneira que me dediquei intensamente à dança, passei a me dedicar ao jornalismo”, descreveu Fátima.

Durante os 14 anos que permaneceu na bancada do ‘Jornal Nacional’ ao lado de seu ex-marido, William Bonner, ela percebeu que a dança a ajudou muito a não se desesperar diante de um erro. A migração para o entretenimento marcou seu reencontro com o antigo sonho.