AnaMaria

Vigilância Sanitária interrompe show de Belo com 1.500 pessoas em SP

Espaço de eventos já havia realizado outras apresentações, como a de Fábio Jr.

Da Redação Publicado em 02/08/2021, às 07h36 - Atualizado às 07h36

Belo já foi preso por causar aglomeração em outro show, no Rio de Janeiro - Instagram/@belo
Belo já foi preso por causar aglomeração em outro show, no Rio de Janeiro - Instagram/@belo

O cantor Belo se apresentou no Espaço das Américas, casa de shows localizada na Zona Oeste de São Paulo (SP), no último sábado (31). No momento da atração musical, a Vigilância Sanitária teria interrompido o show, segundo vídeos divulgados pela própria organização. Foi informado que o local descumpriu as medidas sanitárias contra a propagação do coronavírus.

Nas imagens divulgadas pela Vigilância, é possível ver diversas pessoas sentadas em mesas bem próximas, sem máscara, enquanto assistiam ao marido de Gracyanne Barbosa. Além dos fãs da pista central, mais pessoas estavam na área superior, em um mezanino.

O Espaço das Américas, no entanto, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo, por meio de assessoria de imprensa, que o show terminou por volta das 22h50, como previsto, sem interrupções e multas.

"O Espaço das Américas esclarece que realizou ontem, 31, o show do cantor Belo cumprindo todos os protocolos e medidas sanitárias. A casa estava com 1560 pessoas, o show iniciou às 20h30 e finalizou às 22h50 conforme planejado", informaram. Já Belo não emitiu nenhum comunicado ou nota oficial.

Esta não é a primeira vez que a casa promove shows em meio à pandemia. Em fevereiro deste ano, quando foi permitida a reabertura parcial em São Paulo, Fábio Jr. também se apresentou no Espaço das Américas.

SHOW CLANDESTINO

Vale lembrar que também em fevereiro, Belo foi preso após ser flagrado em um show clandestino no Complexo da Maré, uma comunidade da Zona Norte do Rio de Janeiro.

À CNN Brasil, a comunicação do artista disse que ele seguiu as recomendações da produtora: “Fomos contratados por uma produtora. Temos contrato firmado com essa empresa. Quanto ao local, não cabe ao artista. Fomos contratados para fazer o show e cumprimos o que foi acordado! Sem mais”, consta.

Em entrevista para o G1, o cantor havia declarado: “Fizemos o show seguindo todos os protocolos. Não temos controle do geral. Isso nem os governantes têm. As praias estão lotadas, transportes públicos, e só quem sofre as consequências são os artistas - que foi o primeiro segmento a parar, e até agora não temos apoio de ninguém sobre a nossa retomada. Sustentamos mais de 50 famílias”.