AnaMaria
Últimas Notícias / Jornalismo

Sérgio Chapelin fará seu último episódio do 'Globo Repórter' na próxima sexta

Sérgio Chapelin estrelará seu último programa no ‘Globo Repórter’

Da Redação Publicado em 25/09/2019, às 16h00 - Atualizado às 16h01

Sérgio Chapelin - Globo/João Cotta
Sérgio Chapelin - Globo/João Cotta

Sérgio Chapelin fará, na próxima sexta-feira (27), seu último programa do ‘Globo Repórter’, da TV Globo. O informação foi enviada pela assessoria de imprensa da emissora, nesta quarta-feira (25). 

O episódio, que marca a trajetória do jornalista, irá falar sobre a natureza selvagem da região do Serengeti, na África. O apresentador afirmou que se sente muito feliz por ter feito parte da história da atração.

“Da primeira fase do programa, mais documental, passando pela fase em que éramos mais factuais, até o momento atual, quando falamos sobre todos os assuntos. Saio com a sensação de dever cumprido”, declarou.

O profissional, bastante reconhecido na história do jornalismo, revelou estar muito honrado por cada experiência. “Minha trajetória na TV era tudo o que eu poderia desejar na vida. Sou muito grato ao público e aos colegas por todo esse carinho e simpatia”, disse.

A voz inconfundível está no ar desde a estreia do título, em 3 de abril de 1973. No entanto, a partir da próxima semana, quem mostrará suas aventuras ao redor do mundo vão ser Glória Maria e Sandra Annenberg.

DECLARAÇÕES

As antigas companheiras de trabalho também deram depoimentos publicados pela imprensa.

Glória Maria já havia estado presente em alguns programas com o âncora, por isso, falou com carinho sobre o colega.

“Sérgio Chapelin faz parte da minha vida. Começamos praticamente juntos. Cheguei aqui três anos depois dele e nunca nos separamos. Agora, são duas apresentadoras, cada uma com sua experiência. Nós não podemos substituí-lo porque não tem como. Vamos fazer uma coisa diferente”, anunciou.

Já Sandra Annenberg afirmou que será gratificante substituir uma de suas referências. 

“Quando comecei no jornalismo da Globo, em 1991, fui a primeira apresentadora do tempo do ‘Jornal Nacional’ e era chamada toda noite pelo Sérgio e pelo Cid Moreira. Ele é uma inspiração e me sinto honrada. Na verdade, o Sérgio é insubstituível. A voz dele ficará, para sempre, ecoando nos nossos ouvidos”, relembrou.